quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Queimados vivos - A inquisção é instalada na Diocese do Crato

Gazeta de Notícias -
Eugênio Dantas é professor público
aposentado e padre licenciado
                                        Prof. Eugênio Dantas
Quem não se lembra da Inquisição na Idade Média? Naquela época a Igreja tinha todo poder sobre os católicos e povo em geral. Ela mandava na política e na cultura.  Existia o Tribunal do Santo Ofício instrumento de condenação de quem não pensasse como a Igreja queria.  Era uma espécie de Estado Islâmico atual.  Todos nós estamos vendo a onda de massacres promovidos pelos terroristas através de atentados em vários países. Pois bem. Na Idade Média a Igreja também agia assim.  Hoje são bombas. Naquela época era a “santa fogueira”.   Muitos cientistas foram queimados vivos.
Até mesmo pessoas que depois foram considerados santos com santa Joana d'Arc foi queimada. Pois bem. Parece que a Diocese do Crato quer reimplantar esta prática. Ninguém pode pensar diferente da cúpula  da Igreja diocesana.  Todos têm de aceitar calados  as  ações  do   bispo  e  seus  assessores  imediatos. Caso contrário serão indiciados  como  criminosos   e  entregues  a  polícia.  Foi o que o bispo fez com dois monsenhores e alguns leigos.  E isto com aprovação de parte do clero (incluindo padres e diáconos), Que crime eles cometeram? Só porque não comungaram  com algumas  ações  do bispo?  Centraram   seus   argumentos   na divulgação  de  um  video para desviar  a  atenção   dos motivos  maiores  da  crítica feitas   pelos acusadores.  Que exemplo  este  bispo   e  seus defensores estão dando   a  nós católicos? Onde  está o  agir  evangélico que manda  perdoar, usar de misericórdia e de não   condenar? Jesus  diz: não  condeneis, e  noutra  parte : perdoar até  70  vezes  7? Que comportamento evangélico tem este bispo e seus defensores? Que exemplo estão nos dando?
Postar um comentário

Títulos mais acessados