terça-feira, 10 de agosto de 2010

Irresponsabilidade social leva ao fechamento da Unidade do SESI-Crato


As informações do superintendente Regional do Sesi, Francisco das Chagas Magalhães, diz que todos os serviços prestados pela unidade do Crato serão transferidos para Juazeiro do Norte, e afirma que, o fechamento da Unidade do Crato tem como finalidade "acompanhar a evolução da economia e o novo perfil da indústria cearense". Ele complementou dizendo que "a distribuição geográfica das empresas no Interior não é mais a mesma. Outras regiões despontam como novos polos industriais, enquanto outros locais passam por processo de adequação", em vez de adequação leia-se “degeneração Sesiana”.
Como é possível ler, os termos técnicos proferidos pelo senhor Magalhães é um embaralhado de inteligibilidade, quer dizer vai simplesmente fechar o SESI-Crato e os 4 mil industriários do município que se danem em seu lazer e assistência médico-social. Desde quando fechar uma instituição é “evolução da economia?”
O complexo físico do SESI-Crato, embora tenha sido construído há 42 anos, tem em sua estrutura um conjunto de edificações que nada fica a dever aos modernos empreendimentos similares. Auditório climatizado com palco, poltronas, cortinas, vidraças, iluminação profissional, equipamento de projeção cinematográfica, salas de aula, salas de administração, restaurante, piscinas, quadras esportivas, áreas de recreação, amplos espaços e uma construção em estilo dos mais modernos.
Fechar o SESI-Crato é o maior das irresponsabilidades que os senhores Roberto Proença de Macedo – Presidente da FIEC e Francisco Magalhães superintendente Regional podem praticar contra a evolução da indústria caririense.
O município do Crato tem hoje várias indústrias, inclusive uma Grendene, que empregam um contingente de 4 mil industriários que com suas famílias totalizam mais de 7 mil pessoas usuárias do SESI-Crato. Fechar as portas dessa instituição é uma ação no mínimo criminosa e instigante ao retrocesso sócio-econômico, pela falta de gerenciamento. Com o fechamento do SESI-Crato, esses senhores demonstram possuírem mentalidade de “jerico”, retrógrados, e incompetentes. É possível mensurar esse retrocesso do SESI frente aos vertiginosos crescimentos de SESC/SENAC da FECOMÉRCIO, que ao contrário, tiveram suas sedes reconstruídas em moldes avançados para trabalharem e prestarem assistências aos comerciários neste século XXI. E veja que no município do Crato o contingente de beneficiários não chega a 1.500 comerciários com suas famílias.
Ou essa conversa de fechamento do SESI-Crato é uma jogada de marketing, onde aparecerá um político salvador da pátria para açambarcar votos no Crato?
Postar um comentário

Títulos mais acessados