segunda-feira, 9 de maio de 2011

Família quer de volta relíquias do Padre Cícero emprestadas a Dom Panico

A matriarca Cícera Lopes de Oliveira (Mãe Cícinha), progenitora de uma das tradicionais famílias de Juazeiro do Norte e consagrada devota do Padre Cícero a quem tem verdadeira veneração, por isso foi personalidade destacada nos programas da TV brasileira: Jô Soares, Sem censura – Lêda Naglia e Mais você de Ana Maria Braga, diz que foi induzida a emprestar ao bispo diocesano, dom Fernando Panico, várias relíquias do Padre Cícero para incorporar ao acervo que foi levado ao Vaticano com fins de documentar os fenômenos acontecidos em Juazeiro no final do século retrasado e restabelecer, in memoriam, as ordens eclesiásticas do Padre Cícero, que foram suspensas pelo bispo de então (Fortaleza) dom Joaquim José Vieira no final do século XIX.
O relicário confiado ao bispo Dom Fernando, há 5 anos passados, tem sido objeto de quizila da família com o purpurado que reluta em se apropriar desses bens que Dona Cícero quer deixar para sua descendência familiar. A contenda se arrasta sob a justificativa do prelado de que os bens estão bem guardados em um osculatório na residência episcopal e são, agora, de propriedade da Diocese do Crato. Em entrevista a esta Gazeta de Notícias dona Cícero resistente ao assenhoreamento de Dom Fernando disse que vai lutar na justiça e por todos os meios para reaver suas precisas relíquias.

Gazeta de Notícias: Quando foi seu último contato com Dom Fernando?
Dona Cícera: Numa dessas missões, ele passou aqui em frente a minha casa e, eu o abordei perguntando quando seriam entregues minhas relíquias. Ele disse que iria entregar, e que a gente tivesse paciência e que bem guardado estavam com ele. Aí eu disse: bem guardadas não! bem guardado elas estão na minha casa, onde Maria Generosa e minha mãe me deram. Ele retrucou: Não... isso eu vou botar num oratório. No que eu disse: Eu também tenho um oratório da época de meu padrinho Padre Cícero. Aí ele voltou a dizer: Vocês têm que ter paciência. Numa segunda conversa ele disse que não podia entregar que era “num sei de que,” ai eu procurei um advogado para botar na justiça para processar ele. O processo ta rolando. Mas creio que não adianta. O bispo é sabido. Ele leva muito dinheiro aqui do Juazeiro e dizem que ele não bota na igreja. Nas épocas de romaria ele se muda aqui para Juazeiro, dorme aqui para esvaziar os cofres das igrejas.

Gazeta:
Qual a ligação da senhora com o Padre Cícero?
Dona Cícero: Minha mãe tinha dois anos quando foi entregue ao Padre Cícero. Ele criou, educou até ela se casar. Eu sou registrada no cartório como neta adotiva do Padre Cícero. Eu fui muito ligada ao Padre Murilo até sua morte. Sempre me fez presente na igreja e nas promoções sociais. Temos uma ONG – Projeto Mãe Cicinha que cuida do lazer e defesa de pessoas da terceira idade com escola de alfabetização de adultos e idosos. Promovemos também na colina do horto, sempre no fim de julho, um grande evento com lanches para muita gente, para todo mundo. É uma festa que achamos ser importante para aquele povo.

Reportagem-texto do jornalista Luiz José dos Santos e
foto da repórter Aline Maria
Postar um comentário

Títulos mais acessados