segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Dilma: “Queremos as regiões do Brasil com a mesma oportunidade”

Gazeta de Notícias - “O Dialoga Ceará tem que começar com a afirmação que o meu governo tem um compromisso fundamental com os nordestinos”, declarou a presidenta Dilma nesta sexta-feira (28), em Fortaleza, durante mais uma edição regional do Dialoga Brasil. E, lembrando uma poesia de Patativa do Assaré, Dilma reafirmou a importância da igualdade regional.
 
"As pessoas são todas diferentes, mas as oportunidades têm que ser as mesmas", afirmou Dilma durante o Dialoga Ceará. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

“As pessoas são todas diferentes, mas as oportunidades têm que ser as mesmas”, afirmou Dilma durante o Dialoga Ceará. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
“Essa poesia linda: ‘Nordestino, sim. Nordestinados, não’, que é do nosso querido Patativa do Assaré. E aí eu quero dizer que é um compromisso ético fundamental do meu governo, que é com a percepção que o Brasil é feito nas suas regiões, nos seus estados. Não existe um Brasil que não esteja em algum estado da Federação ou em alguma cidade. Nós não queremos uma região igual à outra, mas nós queremos as regiões do Brasil com a mesma oportunidade”.
Dilma chamou a atenção pra o fato de que o Nordeste, que concentra 25% da população do País e possui história e cultura ricas, não concentra, na mesma proporção, riqueza nem oportunidades para seus cidadãos. “Concentra uma riqueza humana extremamente forte, além de ser aqui o início de um chamado ‘Brasil moderno’. Esta questão, não é uma questão trivial no Brasil. Aqui no Nordeste brasileiro tem uma quantidade imensa, tem uma riqueza imensa que é fundamental para o nosso País crescer e virar uma nação desenvolvida”, disse.

E uma outra questão que integra o compromisso ético do governo, afirmou Dilma, é a igualdade social. “As pessoas são todas diferentes, uma é diferente da outra. Todas elas. Mas as oportunidades têm que ser as mesmas. Um governo tem de passar o tempo todo pensando em como resolver isto, como assegurar àquelas pessoas que nunca tiveram acesso passem a ter”.
Ela citou alguns programas de governo que atuam para sanar esta desigualdade: o ProUni, o Fies e o Enem, que contribuem para dar oportunidades iguais de acesso à universidade; o Minha Casa Minha Vida, que permite que pessoas antes em situação precária tenham um lar; e o Mais Médicos, que além de levar atendimento a municípios que não tinham médicos, cria cursos de medicina interiorizando a formação. “Todas as coisas que nós fizemos em políticas sociais foi para dar oportunidades iguais.”
Postar um comentário

Títulos mais acessados