quarta-feira, 25 de março de 2015

PF divulga nomes de funcionários e empresários envolvidos em fraude de R$ 100 milhões na Caixa


http://jgdprod.s3-sa-east-1.amazonaws.com/wp-content/uploads/sites/2/2015/03/25161048/cef.jpgRicardo Alves Carneiro é empresário apontado como um dos líderes do grupo, apontado como falsificador de dois RGs e quatro CPFs;
Fernando Hélio Alves Carneiro é empresário e irmão de Ricardo. Acusado de falsificar dois RGs e dois CPFs;
Diego Pinheiro Carneiro é empresário, irmão de Ricardo e de Fernando Hélio;
José Hybernon Cysne Neto é empresário e é acusado de ser o aliciador de ‘laranjas’ para as fraudes;
Israel Batista Ribeiro Júnior é gerente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal;
Antonio Carlos Franci é superintendente da Caixa Econômica Federal;
Odilon Pires Soares é superintendente nacional da Caixa Econômica Federal para o Nordeste;
Ana Márcia Cavalcante Nunes é gerente geral de agência da Caixa Econômica Federal;
David Athilla Andrade Bandeira Barreto é gerente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal;
Joacy Nogueira de Oliveira: gerente de atendimento de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal;
Jaime Dias Frota Filho: gerente geral de agência da Caixa Econômica Federal;
Francisco Evandro Cavalcante Marinho: gerente geral de agência da Caixa Econômica Federal;
William Bezerra Segundo é empresário;
Egberto Bossardi Frota Carneiro é empresário;
Flávio Benevides Bomfim é  empresário;
Geovane Silva Oliveira Filho é acusado de ser o intermediador das fraudes nos contratos;
André Luís Bastos Praxedes é acusado de ser o beneficiado com empréstimos que recebiam os financiamentos;

Gazeta de Notícias -

PF cumpriu 56 mandados na Operação Fidúcia: 17 de prisão, 14 de condução coercitiva e 25 de busca e apreensão; um ex-gerente se apresentou espontaneamente

Fraude na Caixa pode chegar à R$ 100 milhões
Após deflagar a “Operação Fidúcia” na última terça-feira (24), em Fortaleza, a Polícia Federal divulgou a lista com o nome dos funcionários da Caixa Econômica envolvidos em fraudes que deram um rombo de R$ 100 milhões. A organização criminosa fraudava contratos de financiamentos em agências da CEF do Ceará, e a PF cumpriu 56 mandados expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal. Cinco foram de prisão preventiva, 12 mandados de prisão temporária e 14 de condução coercitiva, para prestar depoimento.
Confira a lista completa com os nomes dos funcionários da CEF envolvidos na investigação:
Postar um comentário

Títulos mais acessados