domingo, 16 de fevereiro de 2014

Juazeiro terá 1º circo de concreto


Foto: Elizângela Santos

Gazeta de NotíciasO primeiro circo de concreto do Brasil será inaugurado na terra do "Padre Cícero", no dia 27 de março, Dia Nacional do Circo. Uma história iniciada pelo Instituto Ecocidadania Juriti, há 16 anos em Juazeiro, com crianças e adolescentes, na formação da cidadania. Já passaram pela entidade cerca de 1.300 pessoas de vários bairros pobres de Juazeiro do Norte. E o aprendizado continua com a resistência do grupo.

São mais de sete anos de construção do Circo Escola de Ecocidadania. Agora, a tenda de concreto está armada, com a cobertura metálica, e exige mais dos integrantes do projeto, para manter a grande estrutura. A área circular chama a atenção pelo formato diferenciado na periferia da cidade. As atividades começam a ser intensificadas. A proposta a partir desse momento é de fortalecer as atividades de produção e educação por meio do audiovisual, além da formação circense.
A entidade nasceu com a TV Escola Juriti, mas não houve como dar continuidade as atividades. São vários documentários já realizados pela entidade, que agora tem o projeto voltado para a elaboração de mais um sobre a história da menina Benigna Cardoso da Silva, de Santana do Cariri, em processo de beatificação pelo Vaticano.

O pouco financiamento de projetos no Brasil para manter as entidades não governamentais tem sido um grande desafio, segundo a coordenadora do Instituto, Ana Cristina Diogo. A socióloga enfrenta as dificuldades sem pestanejar, pois o importante é dar segmento ao grande trabalho, que tem buscado a maturidade. "Já fizemos educação, em espaço a céu aberto, coberto com lona e sem, e agora temos esse circo, pioneiro", diz ela.
A diretora destaca o papel compensador de atuar na instituição, hoje podendo colher os frutos das atividades, por meio de cidadãos formados em universidades do Brasil, ou mesmo sendo absorvidos por grandes circos, como o do ator Marcos Frota, da Rede Globo, que acabou de aportar em Juazeiro do Norte, levando um dos rebentos da Juriti. Era uma grande preocupação para ela, que se emociona com o bom encaminhamento de jovens que poderiam ter um destino diferenciado da maioria dos que estão sem uma perspectiva na vida.
Fortalecimento
Há vários projetos para o fortalecimento da entidade. Uma campanha de apadrinhamento vem sendo realizada, para o desenvolvimento do projeto em parceria com a Escola de Capoeira Perna Pesada/Recife-PE, através do Programa de Formação em Capoeira Ginga no Picadeiro. O Picadeiro Musical foi iniciado com shows de cantores regionais. Para Cristina Diogo, esse é um momento de ressurgimento da entidade, por meio de caminhos criativos. "Não podemos ter um discurso de coitadinhos, porque temos caminhos que não sejam apenas com editais e políticas públicas", diz. Ela propõe que as organizações não governamentais comecem a pensar na criação de uma cadeia de economia criativa.
O trabalho do instituto tem uma conexão direta com a comunidade, a exemplo da mestre Fanca. A artesã produz várias roupas e artesanatos na entidade. Para Cristina, o momento é de reconstrução. Além de envolver a comunidade, tem a finalidade de sensibilizar as pessoas, empresários e entidades. Atualmente estão frequentando o Circo Escola cerca de 70 jovens e crianças. O trabalho de formação continua sendo desenvolvido, com aulas ministradas durante a semana e nos finais de semana.
O local é também 'Pontão' de Cultura, do Ministério da Cultura, há quatro anos. Por meio desse projeto, está sendo montada estrutura para a realização de documentários, projetos na área do audiovisual. Ela destaca que hoje há bons equipamentos para o desenvolvimento das atividades, mas o foco mesmo é a formação. O trabalho vem sendo coordenado por Jane Malaquias, que estudou num das mais importantes escolas de audiovisual do mundo, em Cuba.
Elias de Lima fez o documentário 'Para ver o Reisado Passar', entre outros, e coordena atualmente o Laboratório de Imagem e Som da Juriti. A sua experiência de formação foi feita basicamente na entidade. Ele agora retorna para coordenar trabalho e possibilitar o aprendizado para outros jovens.
O primeiro circo de concreto do mundo é na Turquia. "A ideia inicial era um galpão, mas queríamos algo mais criativo, com a preocupação maior voltada para a segurança", diz. Na inauguração ela ainda prevê a presença de uma trupe com acrobatas, apresentando um trabalho de pesquisa inspirado nas inscrições rupestres da serra da Capivara, no Piauí. (ES)

Fonte: Diário do Nordeste
Postar um comentário

Títulos mais acessados