sexta-feira, 20 de julho de 2012

Produtores de Cana definirão medidas diante da inadimplência da Cruangi

A usina Cruangi deve R$ 8 milhões aos fornecedores de cana, que, cansados de esperar o cumprimento das promessas de pagamento da unidade industrial desde a safra passada, definirão ações contra a inadimplência da empresa. A Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP) e o Sindicato dos Cultivadores de Cana do Estado (Sindicape) promoverão uma assembleia com os produtores da região para deliberar o posicionamento da classe diante do impasse. O encontro será realizado nesta segunda-feira (23), às 11h, na sede na entidade, no bairro da Imbiribeira, no Recife.

Além da participação dos produtores, serão também convidados os deputados estaduais ligados ao setor, bem como os prefeitos das cidades envolvidas no problema. São elas, Goiana, Itambé, Condado, Ferreiros, Timbaúba, Aliança, Vicência, Nazaré da Mata, Buenos Aires, São Vicente Ferrer, Macaparana e Limoeiro. A usina Cruangi, que obteve a terceira maior moagem estadual na última safra (1,4 milhões de toneladas), também acumula dívida com as duas entidades de classe dos produtores (AFCP e Sindicape). O débito chega a R$ 800 mil.
Segundo o presidente da AFCP, Alexandre Andrade Lima, a indignação é grande no setor. A revolta existe porque a matéria-prima do produtor já foi processada pelo industrial, e igualmente comercializada pelos mesmos, porém, o pagamento dos produtores de cana não é efetuado. “Mas mesmo assim, várias oportunidades foram dadas a unidade industrial para resolver o problema, porém não houve efeito prático”, conta, ressaltando a necessidade da definição de outra posição. Neste sentido, serão definidas coletivamente as ações na assembleia.
Diante do cenário, ainda no primeiro semestre, os produtores, por meio das entidades, tomaram as primeiras medidas contra a não resolução da dívida. O passivo foi denunciado à Secretaria Estadual da Fazenda e ao Ministério da Agricultura. Com a ação, a usina perdeu na esfera estadual os créditos presumidos do ICMS, até resolver o impasse, conforme estabelece o decreto nº 37832. Já no nível federal, Cruangi teve suspensa a cota especial de exportação de açúcar para os Estados Unidos (Cota Americana).
Postar um comentário

Títulos mais acessados