terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Demito-me

Há cerca de um ano atrás foi publicado aqui, na Gazeta de Noticias do Cairiri um artigo, por mim assinado, sobre a Violência, tema esse que preocupava, de sobremaneira, quer a população, quer os Órgãos de Comunicação Social.
Na altura, como hoje em dia, todos os programas diários de Televisão, jornais diários, semanários, e cidadãos, comentavam o aumento descarado dos índices de violência (homicídios principalmente), a descrença na acção policial, para além da impunidade e morosidade da Justiça, enfim, toda uma população amedrontada, quase sitiada e refém de marginais.
Mesmo com o avultado investimento em equipamento e homens levado a cabo pelo Governo Estadual, a tendência de aumento da criminalidade já era visível.
Os alertas para as questões relacionadas com a segurança das pessoas e bens, foram diários, mas, como diz o ditado “vozes de burro não chegam ao céu”, talvez por isso mesmo, raras foram as vezes que o ex-secretário de Segurança Pública Roberto Monteiro, deu a cara em público para sossegar uma população amedrontada, ou simplesmente para, e face ao fracasso da sua politica, aos resultados apresentados, demitir-se.
Nada tenho contra o senhor, mas demissão é uma palavra difícil, e a frase “Eu demito-me”, contempla poucos vocabulários individuais, apesar de dever ser uma frase mais vezes usadas pelos detentores de cargos públicos quando não cumprem com os objetivos a que se propõem ou os que lhes propõem não são atingidos. (o que é normal em qualquer empresa privada).
O ex-secretário da Segurança Pública Roberto Monteiro discursou na despedida das suas funções, no dia 4 de Janeiro de 2011. Depois de se referir a algumas conquistas durante o seu mandato (“ano passado não houve um sequestro e em 2009 apenas um caso”, diminuição de estupros em 24,22%, latrocínios redução em 54,55%), disse:
“ O número de homicídios cresceu 26,27% em 2010 com relação a 2009. Essa foi a minha principal tristeza, porque sou um defensor dos direitos humanos. Essa é a maior violação ao maior dos direitos humanos, que é o direito à vida”. Referiu também que a sua passagem pela Secretaria de Segurança Pública como “ a maior e mais difícil da minha vida. Quatro longos e sofridos anos”
A parte mais difícil de digerir é a que nos apresenta o Diário do Nordeste relativamente ao número de homicídios só na Grande Fortaleza: “ em 2007, 984 homicídios, em 2008, 1.032, em 2009, 1.417, em 2010 1.824 homicídios”, sem contar com 153 mulheres assassinadas em 2010 (mais 12,5% que em 2009)
O novo Secretário de Segurança Pública do Ceará Coronel da PM Francisco José Bezerra Rodrigues, não terá pela frente tarefa fácil, no fim-de-semana seguinte à entrada em 2011 foram registrados 12 casos de assassinatos só na RMF.

Texto de Ricardo Pocinho - jornaista português residente em Fortaleza e grande articulista colaborador desta Gazeta de Notícias

E-Mail: ricardo pocinho ricardopocinho@hotmail.com
Postar um comentário

Títulos mais acessados