quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O fenômeno do 'pior não fica'


O maior fenômeno eleitoral de 2010 atende pelo nome de Tiririca. O candidato-palhaço conseguiu alcançar a marca recorde de 1.352.173 votos para deputado federal por São Paulo pelo Partido da República (PR), baseado unicamente na veiculação de uma imagem debochada no horário eleitoral na TV.

Sob bordão “pior do que está não fica”, Tiririca ficou no segundo lugar como deputado federal mais votado da história. Perdeu apenas para Enéas Carneiro, do Prona, que fez 1.573.642 votos, em 2002.

Eleito, Tiririca (ou Francisco Everardo de Oliveira Silva) enfrenta agora problemas na Justiça. Uma reportagem da revista Época levantou a hipótese de que ele seja analfabeto. Com isso, não poderia exercer mandato, conforme a legislação brasileira.

O candidato responde atualmente a um processo no Tribunal Regional Eleitoral sob suspeita de ter falsificado o documento no qual declara que é alfabetizado. O próprio Tiririca alega, por meio de seus advogados, que sua mulher o ajudou a fazer a redação. Até o presidente Lula entrou na história, ao comentar que Tiririca é vítima de preconceito por ser humilde. “Ele é a cara do Brasil”, disse Lula em entrevista.
Postar um comentário

Títulos mais acessados